Twitter response:

Tag: crianças

Os piolhos e as crianças
Os piolhos e as crianças

 

Olá papais e mamães! Nós sabemos que os vilões da história, os piolhos, podem estar em qualquer lugar, mas, é na escola que o contágio é mais eficaz. Para saber mais como evitar este parasita e quais os cuidados a serem tomados, confira esse texto que preparamos para vocês!

 

O que é um piolho?

Esse pequenino indesejável que “ataca” apenas nós seres humanos é quase imperceptível aos olhos: tem aproximadamente 3 milímetros e podemos compará-lo com o tamanho de um grão de gergelim!

Com seis perninhas apenas, conseguem se agarrar aos cabelos e, a sua cor castanha-acinzentada o ajuda a camuflar-se no meio dos fios e do couro cabeludo.

Muitas pessoas pensam que os piolhos conseguem saltar ou que possuem asas mas, na verdade, eles transitam facilmente de uma cabeça para a outra através das brincadeiras de contato direto e por objetos como roupas de cama, chapéus, gorros, cachecóis, escovas e pentes compartilhados. Mesmo que o cabelo sujo possa ser um dos motivos que contribui para a contração de piolhos, a verdade é que estes parasitas preferem o cabelo limpo. Então, tenha em mente que os piolhos não são um sinal de má higiene.

 

Como atuam?

Quando se prendem à cabeça, picam o couro cabeludo, liberando duas substâncias: uma anestesia local evitando que a criança sinta a picada e um anticoagulante, que evita a cicatrização da ferida, para que o fluxo de sangue seja contínuo. Parece história de terror, não é mesmo? Calma que ainda não acabou! Essas pestes mantêm-se nas cabeças durante um período de 20 a 30 dias e põem 6 a 8 ovos diariamente. Estes ovos, conhecidos como lêndeas, são mais visíveis devido à sua cor pérola; após uma semana, libertam larvas que já começam a se alimentar do sangue do couro cabeludo e que necessitam de apenas 9 a 12 dias para se tornarem piolhos adultos e começarem a botar ovos novamente!

Esse ciclo vicioso precisa ser detectado e tratado o mais rápido possível. O primeiro e principal sintoma de que uma criança tem piolhos é a coceira intensa na cabeça, sobretudo por detrás das orelhas e na zona da nuca.

O que fazer?

Embora possa parecer muito perigoso, não é. Um simples tratamento com shampoos e loções específicas para esta praga (disponíveis nas farmácias) é o suficiente para resolver o problema. É preciso seguir à risca as instruções dos produtos e, para ajudar a remoção é aconselhado fazer o uso de um pente específico para os piolhos e lêndeas.

De acordo com alguns blogs, o uso de óleos ajuda a facilitar a limpeza da cabeça com o pente fino. Confira clicando no link: http://mamisnamadrugada.com.br

 

Se o seu pequeno for contagiado por piolhos, é fundamental que todos da família façam o mesmo tratamento como precaução. Por último, informe a escola, familiares e amigos que a criança normalmente tem contato para que eles possam também se prevenir.

Período pós-piolhos

  • Durante o período escolar é importante inspecionar a cabeça da criança semanalmente: direcione uma luz para o couro cabeludo e penteie o cabelo com o pente fino próprio para as lêndeas.
  • Mantenha os cabelos das crianças curtos ou presos.
  • Periodicamente, desinfete os objetos pessoais da sua criança com água quente.
  • Lave os lençóis da cama e toalhas de banho mais frequentemente e a temperaturas mais elevadas.
  • Evite compartilhar objetos pessoais – chapéus, gorros, cachecóis, escovas e pentes – e ensine a criança a fazer o mesmo.
  • Se não tiver consigo os produtos adequados, experimente este tratamento caseiro: antes de passar o pente pelo cabelo da criança (sempre da raiz até às pontas), espalhe vinagre por todo o couro cabeludo – isto facilitará a remoção das lêndeas. Limpe o pente após cada passagem, mergulhando-o de novo no vinagre até terminar.

 

Fiquem atentos a mais e mais dicas exclusivas através da nossa página no Facebook e do nosso site!  Nós da Ortopasso desejamos a todos vocês uma vida saudável e feliz ao lado dos seus pequenos!

80 Atividades para se fazer com as crianças na hora do tédio (Parte 2)
80 Atividades para se fazer com as crianças na hora do tédio (Parte 2)

 

Olá papais e mamães! Voltamos com a parte 2 da nossa matéria sobre dicas para tirar os nossos pequenos do tédio! Se vocês não leram a parte 1, cliquem aqui e se divirtam!

 

Sabemos que quanto mais tédio as nossas crianças sentem, mais incomodadas elas ficam! Além disso, para garantir uma ótima criação, indicamos sempre que os pequenos estejam envoltos a atividades que possam fazê-los evoluir em diversos aspectos. Abaixo mais 40 ideias para entreter seus filhos:

 

1 – Fazer fantasias dos personagens favoritos das crianças

2 – Assar um bolo de chocolate

3 – Visitar uma exposição na cidade

4 – Andar de bicicleta pelo bairro

5 – Explicar como eram as brincadeiras antigas

6 – Visitar uma livraria

7 – Imprimir desenhos na internet para que eles possam pintar

8 – Fazer chocalhos com arroz e embalagens  velhas

9 – Visitar os primos

10 – Brincar de bolhas de sabão

11 – Tomar um banho de mangueira no quintal (sem gastar muita água né?!)

12 – Fazer uma gincana de pais e filhos

13 – Brincar de reciclar lixo, explicando materiais que podem ser reaproveitados ou reciclados

14 – Separar brinquedos para doação (e fazer cartinhas para seus novos donos!)

15 – Brincar de saci Pererê ou Boitatá

16 – Ir a uma feira de adoção de animais

17 – Fazer um book de fotos em uma praça bonita

18 – Brincadeiras na lama

19 – Brincadeiras no playground

20 – Fazer uma barraquinha de limonada

21 – Fazer uma maratona de desenhos antigos

22 – Fazer um teatro sobre sustentabilidade e cuidados com o meio ambiente

23 – Fazer uma balada na sala de casa

24 – Levar os pets para passear

25 – Fazer tambores com latas de leite vazias

26 – Fazer uma caça ao tesouro em casa

27 – Convidar os amiguinhos da escola para uma tarde de brincadeiras

28 – Tarde de games educativos

29 – Noite de jogos de cartas infantis

30 – Visitem uma fazenda

31 – Passeios no zoológico

32 – Descubram novos sabores de sucos e misturas diferentes de frutas

33 – Tarde de leitura de histórias em quadrinhos

34 – Façam sua própria horta no quintal

35 – Competição de pular corda

36 – Façam um espetáculo de circo

37 – Pinturas no rosto com tinta

38 – Concurso de redação ou desenho

39 – Customização de canecas com canetas próprias

40 – Desfile de moda dentro de casa

 

Gostaram? Ideias  não faltam, portanto não tenham medo de ousar na hora de brincar com as crianças! Uma criação saudável é uma criação feliz, com muito carinho, atenção e tempo junto!

Obrigado por acompanharem nosso site! Continuem acessando e não percam nenhuma novidade aqui e no nosso facebook! Até a próxima!

Como evitar o chulé em bebês e crianças?
Como evitar o chulé em bebês e crianças?

Nada é mais embaraçoso do que sentir aquele cheiro desagradável nos pés e ao contrário do que muitos pensam, o chulé não escolhe idade, por isso nossas crianças não estão imunes a ele.

O chulé é o nome popular da podobromidrose, que são os odores causados pelo corpo humano, especificamente no pés. O mau cheiro ocorre por conta das bactérias que se alimentam do suor e de todo o material que se encontra nos pés, mas calma que nós separamos algumas dicas para te ajudar a evitar esse desconforto.

1-    ESCOLHA MEIAS DE ALGODÃO

As meias de algodão absorvem o suor protegendo assim os pés das nossas crianças. Evite usar materiais sintéticos, ou de náilon, pois estes podem potencializar os efeitos da transpiração. Existem algumas meias que são produzidas exclusivamente para a prática de esportes e também são ótimas aliadas no combate contra o chulé.

2-    LAVE BEM OS PÉS

De acordo com a pediatra Dra. Paula Bafi Crevelaro, o ideal é ter uma boa higiene, lavar os pés com água e sabonete e enxugá-los com muito cuidado, principalmente entre os dedos e as unhas. Lavar os pés é tão importante quanto limpar as outras partes do corpo.

3-    SEQUE BEM OS PÉS

Logo após o banho das crianças, certifique-se de secar bem os pezinhos deles usando toalhas individuais e a passando nos espaços entre os dedos e as unhas. Para garantir um resultado melhor, alguns especialistas indicam jatos de vento frio nos pés, você pode usar o secador de cabelos para fazer isso. Existem pais que optam por colocar amido de milho entre os dedinhos dos filhos.

4-    NÃO COMPARTILHE OS SAPATOS

Nada de ficar trocando os sapatinhos das crianças com os irmãos, primos e amigos pois isso pode contribuir para o surgimento de chulés, micoses e outros problemas. Explique para os pequenos que trocar de calçado com os amigos pode não fazer bem.

5-    TROQUE SEMPRE OS SAPATOS

“O sapato deve ser trocado com frequência e o chulé nunca deve ser ignorado pois pode levar a formação de fungos e bactérias nos pés” destaca a Dra. Paula. Por isso, ter mais que um par de sapatos e intercala-los é de grande ajuda. Outra dica é sempre deixar os calçados em lugares arejados e com sol, logo depois de usá-los.

6-    ESCOLHA SAPATOS ABERTOS E DE COURO

Calçados de borracha ou muito fechados contribuem firmemente para o surgimento de chulé, bactérias e micoses nos pés, por isso, opte por sapatos abertos que deixam os pés dos seus pequenos arejados, ou, opte pelos de couro, o material mais recomendado para crianças.

A Ortopasso oferece calçados em couro legitimo e em inúmeros  modelos, criados para satisfazer os mais diversos gostos das crianças e, ao mesmo tempo, pensados na segurança e na saúde de seus pezinhos.

Esperamos que essas dicas possam ajudar a controlar e evitar o chulé em nossas crianças, e lembre-se: Se mesmo assim o incomodo persistir,  procure um pediatra de sua confiança. Agradecemos pela visita! Até a próxima!